RESERVA NATURAL DA
CACHOEIRA DO CERRADÃO

 
Cachoeira do Cerradão

 

A área da cachoeira do Cerradão, em São Roque de Minas, foi transformada em RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural em agosto de 2001 por ato do Ibama – Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis. É a primeira reserva do gênero na região da serra que se encontra aberta ao ecoturismo, com atividades de caminhada educação ambiental.

 

O imóvel, de 60 hectares, tem uma portaria com serviços de recepção, espera e sanitários. As trilhas que levam à cachoeira têm sinalização interpretativa - plaquinhas de madeira identificam as principais espécies da flora. A visita pode ser feita diariamente das 8 às 17 horas (9 às 18 horas no horário de  verão).

Portaria para atendimento aos visitantes
Flora identificada/RPPN da Cachoeira do Cerradão

A cachoeira do Cerradão é uma das mais altas da serra: são 202 metros em 3 lances. A área tem nascentes, cerrado, campos e mata ciliar bastante preservados.


As visitas são controladas. Os carros ficam do lado de fora, é proibido entrar com bebidas alcoólicas, churrasqueiras e material de pesca.

Foi estabelecido também um limite de 60 visitantes por período. Toda vez que esse número é atingido, os turistas que chegam têm de esperar na portaria ou agendar a visita para outro dia.

 

Não há local para hospedagem na reserva e nem é permitido o acampamento ou esportes radicais. 

Trilha até a cachoeira/RPPN da Cachoeira do Cerradão
Espécie encontrada na reserva

A Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão é administrada pela Tamanduá Ecoturismo.


Informações e reservas:
tamandua@serradacanastra.com.br
Telefax: (37) 3433-1452 / (37) 3433-1332

Veja a íntegra do regulamento da reserva abaixo.

Vista a partir da parte alta da Cachoeira do Cerradão

 

REGULAMENTO

 

A Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão é uma RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural, criada pelo Ibama através da portaria número 92/01, de 16/08/2001. Abrange todo o imóvel de 60 hectares localizado abaixo da cachoeira do Cerradão, no lado oriental do córrego do Cerradão ou Grande. De acordo com a lei, a Reserva tem caráter perpétuo e se destina à preservação da paisagem, flora e fauna. Além de ser moradia dos proprietários, é utilizada para atividades de ecoturismo e educação ambiental. Atividades essas monitoradas pelo Ibama e controladas de acordo com o seguinte regulamento.

 

01 – ACESSO E ADMINISTRAÇÃO
O acesso à Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão é permitido a qualquer interessado, mediante o pagamento de uma taxa de ingresso e o recebimento de orientação específica na recepção. Preferencialmente, a visita deverá ser monitorada por um guia local credenciado pela administradora, a Tamanduá Ecoturismo.

 

02 – GUIAS
O guia local poderá ser livremente escolhido e contratado pelo visitante. Caso solicite e havendo disponibilidade, o visitante poderá ser acompanhado em toda a visita por um guia da própria reserva.

 

03 – PREÇOS E ISENÇÕES
Os ingressos terão preço único de R$ 15,00 por pessoa.

Descontos:

- 10% para grupos fechados acima de 10 pessoas;

- 20% para grupos fechados acima de 20 pessoas;

- 50% para crianças acima de 5 anos, até 10 anos de idade.

Isenções:
- Crianças de até 5 anos acompanhadas dos pais ou responsáveis;
- Jornalistas, pesquisadores e autoridades que comprovem sua condição e estejam a trabalho;
- Guias locais, guias e motoristas de grupos fechados (máximo de 3 pessoas por grupo).

 

04 – PAGAMENTO
O pagamento da taxa de ingresso poderá ser feito antecipadamente na sede da Tamanduá Ecoturismo, na Av. Vicenti Picardi, nº94 – CEP: 37928-000 – Bela Vista – São Roque de Minas, que emitirá um recibo para apresentação na portaria da Reserva.

 

05 - ATIVIDADES DE ESPORTE E LAZER
Além de caminhadas, serão admitidas na reserva atividades de rapel e tirolesa, monitoradas pela administração e agendadas com antecedência de 24 horas na Tamanduá Ecoturismo mediante regulamento específico. 

 

06 – RESTRIÇÕES
Os visitantes NÃO poderão ingressar na área da Reserva com:
- Bebidas alcoólicas;
- Churrasqueiras, equipamentos e instrumentos que se destinem a fazer fogo, cozinhar ou promover eventos festivos;
- Armas de fogo e facões;
- Instrumentos de pesca;
- Equipamentos de camping, rapel, tirolesa ou escalada, exceto com a autorização expressa da Administração.

É proibido:

- Entrar na Reserva com motocicleta, bicicleta ou a cavalo;
- Coletar plantas, flores e pedras;
- Capturar, molestar ou matar animais de qualquer espécie.

Obs.: A coleta de plantas e animais será admitida para fins de pesquisa científica, desde que prévia e formalmente aprovada conjuntamente pelo Ibama e pela Administração.

 

07 - NÚMERO DE VISITANTES
Não haverá limite de tempo para permanência na Reserva, mas o número de pessoas na área de visitação fica limitado a 60 pessoas, o que eventualmente exigirá espera na recepção. No caso de grupos fechados, esse número poderá ser ampliado a critério da Administração.

 

08 – HORÁRIO DE VISITAS E RECEPÇÃO
- Todos os dias, exceto às segundas-feiras*: entrada de 8h00 às 16h00 (17h00 no horário de verão), e saída até às 17h00 (18h00 no horário de verão).

 

*Em períodos de baixa temporada (fora de férias escolares e feriados nacionais prolongados) a RPPN da Cachoeira do Cerradão fecha às segundas-feiras para manutenção.

 

09 – LIXO
A Reserva do Cerradão não tem serviços de coleta de lixo nas trilhas. Todo lixo produzido deverá ser entregue na portaria ou levado de volta pelo visitante.

 

10 – Situações imprevistas ou omissas neste regulamento serão resolvidas a critério da Administração.

 


LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA
RPPN DA CACHOEIRA DO CERRADÃO

São Roque de Minas, MG

Por Mitzi Brandão
Novembro de 1998

A trilha parte de uma área de campo cerrado, com árvores baixas, retorcidas, com baixa diversidade específica, com o estrato maior apresentando altura média entre 3 e 4 m. Ocorrem poucos indivíduos emergentes que ultrapassam esta altura, geralmente situados nas áreas mais aplainadas ou rebaixadas do terreno, onde há uma maior retenção de água.

O estrato arbustivo mostra-se ralo e pouco expressivo, sendo representado por espécies dos gêneros Chamaecrista, Erythroxylum, Stylosanthes, Bauhinia, Eupatorium, Baccharis, Vernonia, etc.. O estrato subarbustivo/herbáceo apresenta-se mais rico, recobrindo, praticamente, todo o solo local, tendo como gêneros mais freqüentes Eremanthus, Oxalis, Marcetia, Irlbachia, Microlicia, Cuphea, Vernonia, Eremanthus e gramíneas pertencentes aos gêneros Paspalum, Ctenium, Mesosetum, Aristida, Andropogon e Axonopus.

Descendo-se a encosta, o campo cerrado torna-se cada vez mais denso, transitando inicialmente para um cerrado e depois para uma mata ciliar estreita. Seguindo-se pela trilha, novamente alcança-se uma área de cerrado, uma pequena parcela de pasto sujo para, finalmente, chegar à mata ciliar do córrego Grande (ou Cerradão), no sopé da cachoeira do Cerradão.

A mata ciliar mostra porte variado (5 a 16 m de altura), com algumas árvores emergentes, apresentando três estratos bem distintos, poucas trepadeiras e epífitas, e um estrato herbáceo muito pouco significativo.

ESPÉCIES IDENTIFICADAS NA TRILHA PERCORRIDA

Algumas espécies ainda não foram identificadas, sendo que no material coletado não se observa características do gênero. Neste sentido, a numeração dessas espécies deverá ser mantida no campo, e tão logo apresentem material florido, coletar para que se proceda a uma identificação segura. São elas: 16 (infalível); 34 (esquental); 49; 59; 89; 94 (rapadura ) e 101 (quebra–foice), a maioria delas da família MYRTACEAE

 

N.º 001

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Hymenaea stigonocarpa Mart.
Nomes populares: jatobá, jatobá-do-campo, jatobá-do-cerrado.
Usos: o fruto do jatobá, além de poder ser consumido ao natural, pode ter a sua polpa (após secagem e passada em peneira) utilizada na confecção de bolos e bolachas, substituindo, em parte, a farinha de trigo. As suas cascas em infusão são utilizadas no combate de febres; a resina fervida é utilizada no tratamento de cistites.


N.º 002

Família: BIGNONIACEAE
Zeyhera digitallis (Vell.) Hoehne
Nomes populares: bolsa-de-carneiro, bolsa-de-pastor
Usos: procurada por psitacídios que se alimentam de suas sementes. Suas cascas são utilizadas como depurativas e suas raízes (banhos) no tratamento de moléstias da pele.


N.º 003

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Bowdichia virgilioides H.B.K 
Nomes populares: sucupira, sucupira-preta
Usos: madeira de lei usada em marcenaria de modo geral, muito procurada por abelhas. As favas são utilizadas para tratar gripes e as raízes para diabetes.


N.º 004

Família: RUBIACEAE
Sabicea brasiliensis Werhn.
Nomes populares: peidoreira, sangue-de-cristo
Usos: frutinhos comestíveis


N.º 005

Família: MYRTACEAE
Myrcia sp
Nomes populares: folha-miúda, maria-preta
Usos: frutinhos para pássaros


N.º 006

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia albicans (Sw.)Triana
Nome popular: mexerica
Usos: frutinhos para pássaros


N.º 007

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville
Nomes populares: barbatimão, casca-de-virgem
Usos: cascas para curtume. As cascas também têm propriedades como adstringente, sendo usadas após cozimento para lavar feridas e úlceras .


N.º 008

Família: MELASTOMATACEAE
Tibouchina candolleana Cogn.
Nome popular: quaresmeira
Usos: ornamental


N.º 009

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia macrothyrsa Benth
Nome popular: maria-preta
Usos: não conhecido


N.º 010

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia paniculata Naud
Nomes populares: maria-pretinha
Usos: não conhecido


N.º 011

Família: ANNONACEAE
Xylopia aromatica (Lam.) Mart.
Nome popular: pimenta-de-macaco
Usos: frutos utilizados como condimento para temperar carnes, sendo também carminativos (gases).


N.º 012

Família: DILLENIACEAE
Curatella americana L
Nome popular: lixeira
Usos: as suas folhas são utizadas como lixas no polimento de trabalhos em madeira. As cascas são utlizadas na medicina popular, em infusão, para lavar feridas e úlceras.


N.º 013

Família: EBENACEAE
Dyospyros brasiliensis Mart.
Nome popular: goiabeira-brava ,caqui-bravo
Uso: não conhecido.


N.º 014

Família: MYRTACEAE
Campomanesia guazumaefolia (Camb.) Berg.
Nomes populares: sete-cascas, sete-capotes.
Usos: frutos comestíveis; folhas antidiarréicas.


N.º 015

Família: MALPIGHIACEAE
Byrsonima verbascifolia Juss.
Nome popular: murici.
Usos: frutinhos comestíveis e utilizados para aromatizar a cachaça. Cascas antidiarréicas.


N.º 016

Família: ???
Nomes populares: infalível
Usos: medicinal (segundo o mateiro José Mário)


N.º 017

Família: RUBIACEAE
Rudgea virbunioides (Cham.)Benth.
Nomes populares: congonha-de-bugre, cotó-cotó
Usos: tratamento de reumatismo (cascas)


N.º 018

Família: BURSERACEAE
Protium heptaphyllum (Aubl.) Marchand
Nomes populares: amescla, mangueirinha
Usos: para aromatizar o sabão de pedra feito nas fazendas. As cascas são usadas em infusão para lavar feridas e úlceras e a resina, sob a forma de infusão, no tratamento de tosses e dores no pulmão.


N.º 019

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Acosmium dasycarpon (Vog.)Yak.
Nomes populares: chapadinha
Usos: cercas não permanentes. Na medicina popular é utilizada no tratamento das dismenorréias (menstruações abundantes ).


N.º 020

Família: ANNONACEAE
Duguetia furfuracea (St. Hil.) Benth. et Hook
Nomes populares: araticum-abelha, araticum-seco ,jaca-seca
Usos: as raízes são ulilizadas sob a forma de chás no tratamento de dores do estomago; a água das sementes, após fervidas, é usada para o controle de piolhos.


N.º 021

Família: MYRTACEAE
Psidium sp.
Nomes populares: pitanguinha
Usos: fruto comestível


N.º 022

Família: VOCHYSIACEAE
Qualea grandiflora Mart.
Nomes populares: pau-terra, pau-ferro
Usos: madeira para obras internas. A entrecasca é utilizada, sob a forma de infusão, na limpeza de feridas e úlceras.


N.º 023

Família: ASTERACEAE
Gochnatia polymorpha Less.
Nome popular: veludo-branco
Uso: não conhecido


N.º 024

Família: SOLANACEAE
Solanum lycocarpum St. Hil.
Nomes populares: lobeira, fruta-de-lobo
Usos: o polvilho extraído de seus frutos (após moagem,lavagem e secagem) é utilizado no tratamento da diabetes.


N.º 025

Família: ASTERACEAE
Eremanthus matogrossensis
Nome popular: candeia-do-campo
Usos: não conhecido


N.º 026

Família: MYRTACEAE
Myrcia sp
Nome popular: desconhecido
Usos: frutinhos apreciados por pássaros.


N.º 027

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Dalbergia violacea (Vog.) Malme.
Nome popular: caviúna
Usos: madeira de lei. As flores são apreciadas pelas abelhas(melíferas). As cascas são utIlizadas em curtume.


N.º 028

Família: ASTERACEAE
Baccharis dracunculifolia D.C.
Nome popular: alecrim
Usos: planta melífera e medicinal (as flores são usadas (Chá) para resfriados


N.º 029

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia stelegira Cogn.
Nome popular: maria-preta
Uso: frutinhos para pássaros

N.º 030

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Bauhinia rufa Steud.
Nomes populares: unha-de-boi, mororó(planta forrageira ).
Usos: forrageira.


N.º 031

Família: ANNONACEAE
Annona crassiflora Mart.
Nome popular: cabeça-de-nego araticum,marolo,ponhã.
Usos: fruta saborosa ao natural, podendo ser usada para Fabricar licores e doces. Sementes antidiarréicas.


N.º 032

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia cinerascens Miq.
Nome popular: casca-de-arroz
Usos: frutinhos para pássaros


N.º 033

Família: MYRISTICACEAE
Virola sebifera Aublet.
Nomes populares: pindaíba, bicuíba
Usos: madeira para cercas rústicas .Folhas usadas como diuréticas.


N.º 034

Família: ????
Nome popular: esquental
Uso: afrodisíaco (segundo o mateiro José Mario)


N.º 035

Família: PROTEACEAE
Roupala montana Aubl.
Nomes populares: carne-de-vaca
Usos: madeira para obras rústicas. As cascas, sob a forma de infusão, são utilizadas para limpeza de feridas e úlceras.


N.º 036

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia vellosoi Tol.
Nome popular: ipê-amarelo
Usos: madeira de lei. As cascas e flores são apreciadas por veados. Ornamental.


N.º 037

Família: VOCHYSIACEAE
Vochysia tucanorum Mart.
Nomes populares: vinhático, pau-de-tucano
Uso: a goma exsudada nos troncos e galhos é apreciada pelos macacos.


N.º 038

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia serratifolia (Vahl.) Nichols
Nomes populares: ipê-da-folha-denteada, ipê-da-mata
Usos: madeira de lei. A entrecasca é utilizada como diurética. Ornamental.


N.º 039

Família: BOMBACACEAE
Subfamília:
Pseudobombax longiflorum (Cav.) Robyns
Nome popular: paineira
Usos: madeira para caixotaria. As painas são utilizadas para encher travesseiros. Ornamental.


N.º 040

Família: HIPPOCRATEACEAE
Sallacia elliptica (Mart.) G. Don.
Nome popular: bacupari
Uso: frutos comestíveis

N.º 041

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
SCLEROLOBIUM PANICULATUM Benth.
Nome popular: angazeiro
Usos: madeira para caixotaria


N.º 042

Família: LYTHRACEAE
Lafoensia glyptocarpa Koehne
Nome popular: dedaleiro
Usos: ornamental. Cascas usadas no tratamento de varizes.


N.º 043

Família: LOGANIACEAE
Strychnos brasiliensis (Spreng ) Mart.
Nome popular: quineira
Usos: antifebrífuga(cascas).

N.º 044

Família: ARECACEAE
Syagrus romanzoffianum (Cham.) Glassm.
Nome popular: coco baboso,coco -catarro
Usos: frutos comestíveis, muito apreciados por pássaros, servindo ainda para a Fabricação de licores.


N.º 045

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Machaerium acutifolium Vog.
Nome popular: jacarandá
Usos: madeira de lei, sevindo para a Fabricação de móveis,peças artesanais.


N.º 046

Família: RUTACEAE
Zanthoxylum rhoifolium Lam.
Nome popular: mamica-de-porca
Usos: madeira usada para caixotaria e cascas em curtume. Como medicinal de uso popular tem suas cascas empregadas, sob a forma de infusão, para dores no estômago.


N.º 047

Família: TILIACEAE
Luehea grandiflora Mart. et Zucc.
Nome popular: açoita-cavalo
Uso: madeira usada para coronhas de armas, cabos de ferramentas

N.º 048

Família: LYTHRACEAE
Lafoensia pacari St.Hil.
Nome popular: pacari
Usos: a casca é utilizada no tratamento de varizes; as folhas são diaforéticas (provocam o aparecimento do suor).


N.º 049

Família: ????
Nome popular: desconhecido
Usos: ???


N.º 050

Família: RUBIACEAE
Bathysa australis Hook.
Nome popular: folha-grande
Usos: hipotensora (usada para abaixar a pressão arterial)


N.º 051

Família: LAURACEAE
Cryptocarya archersoniana Mez.
Nome popular: canela-de-velha
Uso: madeira de lei , própria para obaras internas


N.º 052

Família: MORACEAE
Ficus insipida Willd.
Nomes populares: gameleira, figueira
Usos: utilizada na Faboideaericação de gamelas e colheres.


N.º 053

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Pterogyne nitens Tul.
Nome popular: jacarandazinho, madeira-nova
Usos: obras internas, marcenaria em geral


N.º 054

Família: MYRTACEAE
Psidium guajava L.
Nome popular: goiabeira
Usos: frutos comestíveis e utilizados na confecção de doces, geléias e licores. Folhas novas tidas como antidiarréicas.

 

N.º 055

Família: MYRTACEAE
Eugenia sp
Nome popular: cambuí
Uso: frutos comestíveis.


N.º 056

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong.
Nome popular: tamboril
Usos: confecção de gamelas. As favas são abortivas para o gado.


N.º 057

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Machaerium angustifolium Vog
Nome popular: jacarandá-de-espinho
Usos: obras de entalhe; as cascas são utilizadas para curtume.


N.º 058

Família: MELIACEAE
Guarea sp
Nome popular: guaribeia
Usos:


N.º 059

Família: MYRTACEAE
Nome popular: catiguá de leite
Usos: desconhecido


N.º 060

Família: COMBRETACEAE
Terminalia brasiliensis Camb.
Nome popular: maria-preta
Usos: planta melífera; a madeira é utilizada para obras internas.


N.º 061

Família: STERCULIACEAE
Helicteres sacarolha St. Hil.
Nome popular: sacarolha
Usos: ornamental. Folhas usadas como antidiarréicas.


N.º 062

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Platycyanus regnelli Benth.
Nome popular: pau-pereiro
Usos: madeira de lei, marcenaria em geral e obras internas.


N.º 063

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Acacia polyphylla D.C.
Nome popular: monjoleiro
Usos: madeira para caixotaria ,obras transitórias.


N.º 064

Família: BIGNONIACEAE
Jacaranda puberula Cham.
Nome popular: caroba
Usos: as cascas são utilizadas como depurativas do sangue


N.º 065

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Hymenaea courbaril var. stilbocarpa
Nome popular: jatobá-da-mata
Usos: madeira de lei. Os frutos podem ser consumidoS ao natural, e podem ter a sua polpa (após secagem e passada em peneira) utilizada na confecção de bolos e bolachas, substituindo, em parte, a farinha de trigo. As suas cascas em infusão são utilizadas no combate de febres; a resina fervida é utilizada no tratamento de cistites.


N.º 066

Família: MORACEAE
Ficus sp
Nomes populares: gameleira, figueira.
Usos: confecção de gamelas, colheres e moldes para sapatos


N.º 067

Família: ARALIACEAE
Dendropanax cuneatum
Nome popular: falsa paineira
Usos: caixotaria


N.º 068

Família: CLUSIACEAE
Callophyllum brasiliensis Camb.
Nome popular: jacareúba
Usos: canoas, obras internas, assoalhos,etc .O chá feito com suas raizes é utilizado para banhos, em caso de hemorróidas.


N.º 069

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Inga marginata Wiild.
Nome popular: ingá feijão
Usos: fruta para passarinhos


N.º 070

Família: MORACEAE
Maclura tinctoria (L.) D.Don. ex Steud.
Nome popular: moreira ,tatajuba,amarelinho
Usos: madeira para obras hidraúlicas, como rodas de engenhos, monjolos,etc.


N.º 071

Família: SOLANACEAE
Solanum cernuum St. Hil.
Nome popular: panacéia
Usos: planta medicinal para males do estômago.


N.º 072

Família: MELIACEAE
Cedrela fissilis Vell.
Nome popular: cedro
Usos: madeira de lei ,móveis, tacos, assoalhos, portas, janelas.


N.º 073

Família: LECYTHIDACEAE
Cariniana estrellensis (Raddi )Kuntze
Nome popular: jequitibá-branco
Usos: madeira de lei, própria para móveis, obras internas e marcenaria em geral.


N.º 074

Família: ARECACEAE (PALMAE)
Euterpe edulis Mart.
Nome popular: palmito
Usos: broto comestível


N.º 075

Família: VERBENACEAE
Aegiphilla sellowiana Cham.
Nome popular: pão-de-ló ,fruta de papagaio
Usos: frutos apreciados por psitacídios


N.º 076

Família: EUPHORBIACEAE
Croton piptocalyx Muell. Arg.
Nome popular: sangria-d'água
Usos: madeira para caixotaria.


N.º 077

Família: ASTERACEAE
Vernonia polyanthes Less.
Nome popular: assa-peixe
Usos: as flores, além de serem melíferas, são utilizadas em xaropes para tosse.


N.º 078

Família: BIGNONIACEAE
Pyrostegia venusta Miers.
Nome popular: cipó-de-são-joão
Usos: ornamental, iniciando a sua floração no mês de junho, daí o seu nome.


N.º 079

Família: MYRSINACEAE
Rapanea guianensis Aubl.
Nomes populares: poroca, caporoca
Usos: planta melífera; as cascas são utilizadas para curtume.


N.º 080

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Peltophorum dubium (Spreng.)Taub.
Nome popular: canjica , cambuí, farinha seca
Usos: empregada em paisagismo; produz muitas sementes e apresenta fácil germinação.


N.º 081

Família: COMBRETACEAE
Terminalia argentea Mart. et Zucc.
Nome popular: capitão
Usos: empregada na construção civil, servindo para caibros, ripas, taboados, etc.


N.º 082

Família: LAURACEAE
Cryptocarya archersoniana Mez.
Nome popular: canela-batalha
Usos: madeira de lei, empregada em obras internas, vigas, caibros, táboas,etc.


N.º 083

Família: MELIACEAE
Guarea guidonea (L.)Sleumer
Nome popular: marinheiro
Usos: construção civil e naval, carpintaria em geral.


N.º 084

Família: MONIMIACEAE
Siparuna guianensis Aubl.
Nome popular: negamina
Usos: em indústria de cosméticos (perfumaria).


N.º 085

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Ormosia arborea (Vell.) Harms.
Nome popular: olho-de-cabra, tento
Usos: os frutos são utilizados para contar os pontos em jogos de baralho ou marcar as cartelas no jogo de víspora.


N.º 086

Família: CECROPIACEAE
Cecropia pachystachia Tréc.
Nomes populares: embaúba, umbaúba
Usos: os brotos são utilizados para o controle da pressão arterial.


N.º 087

Família: MORACEAE
Brosimum gaudichaudii Tréc.
Nome popular: mama-cadela
Usos: no tratamento do vitiligo (despigmentação da pele).


N.º 088

Família: PROTEACEAE
Roupala heterophylla Pohl.
Nome popular: carne-de-vaca
Usos: madeira para obras transitórias. As cascas, após cozidas, são utilizadas para lavar feridas e úlceras.


N.º 089

Família: ???
Nome popular: aperta-mão
Usos: ???


N.º 090

Família: EUPHOBIACEAE
Hieronima sp
Nome popular: frieira
Usos: no tratamento de moléstia de pele (banhos).


N.º 091

Família: LECYTHIDACEAE
Cariniana legalis (Mart.)Kuntze.
Nome popular: jequitibá-rosa
Usos: madeira de lei usada na confecção de móveis, portas, j anelas e venezianas.


N.º 092

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia roseo-alba (Rich.) Cham.
Nome popular: ipê-branco
Usos: madeira de lei, própria para obras externas, dormentes e tacos. As flores são apreciadas por veados.


N.º 093

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia avellanedae Lor. ex Griseb.
Nome popular: ipê-rosa
Usos: madeira de lei, própria para obras externas, moirões, pontes e dormentes.


N.º 094

Família: ???
Nome popular: rapadura
Usos:


N.º 095

Família: GLEICHENIACEAE
Gleichenia bifida (W.) Spr.
Nome popular
: rabo-de-cão
Uso: arranjos florais


N.º 096

Família: DILLENIACEAE
Davilla rugosa St. Hil.
Nome popular: cuitezinho, cipó-caboclo
Usos: em banhos, no tratamento das orchites e inflamação da bexiga


N.º 097

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia ochracea (Cham.) Standl.
Nome popular: ipê-cascudo, ipê-do-cerrado
Usos: madeira para pequenas peças e torneados.


N.º 098

Família: MYRTACEAE
Psidium sp
Nome popular: araçá
Uso: frutos comestíveis


N.º 099

Família: LYTHRACEAE
Diplusodon virgatus Pohl.
Nome popular: cai-cai
Usos: não conhecido


N.º 100

Família: MALPIGHIACEAE
Byrsonima intermedia Juss.
Nome popular: murici-miúdo
Usos: frutos comestíveis, servindo para aromatizar a cachaça. As cascas são antidiarréicas.


N.º 101

Família: ???
Nome popular: quebra-foice
Uso: desconhecido. A madeira é extremamente dura, daí o seu nome.

 


 

 

Para visualizar o arquivo com o Inventário de Mamíferos e Aves da RPPN da Cachoeira do Cerradão, é necessário ter o Adobe Reader instalado em seu computador. Caso você não o tenha, clique no link ao lado e faça o download do programa.

Obter Adobe Reader

 


 

INICIAL | ATRAÇÕES | HOSPEDAGEM  | COMPRAS | ATIVIDADES | SERVIÇOS | ROTEIROS | COMO CHEGAR

   PARA SABER MAIS | CIDADES  DA  CANASTRA | PUBLICIDADE | CONTATO

 tamandua@serradacanastra.com.br

 


Criação: 25/04/2000
Atualizada em 20/09/2011

©  1998-2011 Tamanduá Ecoturismo Ltda.  Todos os direitos reservados

 

by Anael de Souza & Maurício Costa
anael@serradacanastra.com.br